Educação

Tarefas domésticas: o que seu filho pode fazer, por idade

Pega uma vassoura para varrer o chão ou um banquinho para ficar na altura da pia na hora de lavar louça… Essas são cenas que se repetem entre diversas famílias. Porque, devido ao fato de os pequenos aprenderem por imitação, é natural que eles desenvolvam algum interesse pelas atividades domésticas ao ver a mamãe e o papai tentando manter a casa em ordem. Até serem obrigados a ajudar de verdade.

Incluir a criançada em algumas atividades domésticas pode ser algo bastante positivo para torná-la participante da dinâmica familiar e contribuir para o desenvolvimento do seu senso de responsabilidade e organização desde cedo. Porém, tudo tem o tempo certo, e preparamos uma lista com as atividades mais indicadas para cada faixa etária. Confira e prepare-se para ganhar um excelente e animado ajudante!

8

2 a 3 anos

Eles adoram ajudar, mas às vezes acabam é “atrapalhando”. Mesmo assim, é possível introduzir algumas tarefas pare envolvê-los e dar uma resposta a esse espírito tão prestativo. A dica é começar por atividades que façam parte do seu universo, como organizar os brinquedos ou cuidar do cãozinho. Tudo com a ajuda e a supervisão da mamãe.

Tarefas apropriadas para esta idade:

  • Devolver os brinquedos no lugar
  • Ajudar a alimentar os animais de estimação
  • Tirar poeira dos móveis (ao invés de usar um pano normal, enfiar uma meia velha nas maõzinhas)

4 a 5 anos

As crianças nessa fase são bastante prestativas, sempre interessadas em aprender e experimentar algo novo. Aqui, grande parte das tarefas já pode ser realizada sem a supervisão adulta, embora seja recomendado que a mamãe sempre fique de olho.

Tarefas domésticas apropriadas para esta idade:

  • Ajudar a arrumar a cama.
  • Colocar e tirar a mesa de café, almoço e jantar (sem deixá-los manusear objetos cortantes, quentes ou afiados).
  • Levar a roupa suja para a lavanderia, colocando-a dentro do cesto ou da máquina.
  • Ajudar a limpar alimentos derramados ou espalhados.

7

6 a 7 anos

Durante essa fase, a criança já começa a entender melhor as noções de responsabilidade de cuidado e sua coordenação motora já está bastante desenvolvida. Então, você poderá tirar bastante proveito das atividades para ensiná-la a ser mais organizada e a manter tudo sempre limpo.

Tarefas domésticas apropriadas para esta idade:

  • Esvaziar o lixo do banheiro.
  • Tentar dobrar algumas roupas e manter o guarda-roupa em ordem.
  • Regar as plantas.
  • Ajudar a arrumar as compras de supermercado.

A partir dos 8 anos

Esta é uma fase em que os pequenos valorizam a sua independência e autonomia, por isso, é importante delegar atividades que eles possam começar e terminar sozinhos. Se for possível, você pode, inclusive, estipular um valor de mesada ou semanada como recompensa pelo cumprimento de alguns afazeres.

Tarefas domésticas apropriadas para esta idade:

  • Limpar o quarto.
  • Carregar sacolas leves da compra de supermercado.
  • Levar o lixo.
  • Ajudar a lavar o carro.
  • Alimentar e dar banho no animal de estimação.
  • Ajudar na limpeza e manutenção da área externa da casa.
  • Estender e recolher roupas do varal.
  • Lavasr a louça (excluindo itens cortantes ou quebráveis).
  • Ajudar a cuidar do irmãozinho mais novo (com 10 anos ou mais).

9

Deixar um comentário

Livros infantis para espantar o medo

Medo do escuro, de bichos, de monstros… Depois dos dois anos de vida, muitos são os temores que podem amedrontar a criança e tirar a sua paz. Se eles são inevitáveis e fazem parte do desenvolvimento da consciência da criança, a boa notícia é que a literatura pode ser uma ótima ferramenta para ajudá-la nesse processo.

Ao identificar, nas histórias, os medos que também fazem parte do seu universo, os pequenos compreendem melhor o que estão sentindo e aprendem a enfrentá-los e se fortalecer diante deles. Cada personagem que consegue ser bem-sucedido contra seus próprios medos serve como um incentivo para a criança, mostrando que ela não é a única e que é possível ser vitorioso nesse processo.

Então confira, abaixo, alguns livrinhos que separamos por faixa etária, para dizer adeus aos medos do seu filho.

O medo mora embaixo da cama – a partir de 2 anos 

1

Texto: Mariza Tavares
Ilustrações: Nina Millen
Editora: Globinho

As luzes do quarto se apagam e João já arregala os olhos imaginando monstros debaixo da cama, dentro do armário ou em algum cantinho do quarto. Aos poucos, ele vai descobrindo que as cobras e dragões nada mais eram do que brinquedos ou peças de roupa espalhados por ali. De maneira simples e bastante divertida, a história traz uma ótima abordagem para esse medo clássico da infância.

Quem tem medo de quê? – a partir de 3 anos

2

Texto: Ruth Rocha
Ilustrações: Mariana Massarani
Editora: Salamandra

O livro faz parte da série “Quem tem medo?” da consagrada e premiada Ruth Rocha. Nessa obra, a autora traz rimas deliciosas e divertidas que falam do pavor de vampiro, injeção, cachorro, e até de piolho! O texto descontraído combina perfeitamente com as coloridas ilustrações da também consagrada Mariana Massarani, trazendo o assunto de maneira leve como a criançada gosta.

O menino que tinha medo de errar – a partir dos 4 anos

3

Texto: Andrea Viviana Taubman
Ilustrações: Camila Carrossine
Editora: Escrita Fina

Não é só de monstro e escuro que as crianças têm medo. O maior medo de Pedro é de errar e, por isso, ele acaba perdendo a chance de fazer várias coisas legais. Até o dia em que ele sonha com uma fada que o leva para conhecer o Reino da Perfeição – e então ele entende que ninguém acerta o tempo todo.

A Princesinha Medrosa – a partir de 5 anos

5

Texto e ilustrações:Odilon Moraes
Editora: Cosac Naify

Uma princesinha é atormentada pelo medo do escuro, da solidão e da pobreza é a protagonista dessa história singela cheia de ilustrações lindas. Embora cercada de luzes, de pessoas e de vários objetos valiosos, o medo que algo possa lhe faltar não a abandona. Até o dia em que, durante um passeio, ela se perde da sua comitiva e conhece um menino que gosta de deitar na beira do rio e contar estrelas. Isso basta para que ela comece a enxergar o mundo de uma forma diferente. A obra foi vencedora do prêmio de Melhor Livro para Crianças da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ).

Onde está a bruxa? – a partir de 6 anos

6

Texto:Ilan Brenman
Ilustração: Evelyn Daviddi
Editora: Scipione

Com rimas divertidas e narrativa fluente, o autor desmistifica a figura da bruxa. Um garotinho é sempre alertado para a possibilidade da vilã estar à espreita. Seja no quarto, no banheiro ou na sala, sempre há uma sugestão esperta para evitar esse encontro. Porém, a bruxa nunca aparece e o garotinho consegue perceber que tudo era invenção da sua mente e já é hora de dormir de novo.

Alguns medos e seus segredos – a partir de 7 anos 

4

Texto: Ana Maria Machado
Ilustrações: Alcy Linares
Editora: Global

O livro reúne três histórias deliciosas: Mãe com medo de lagartixa, Com licença, seu bicho-papão e O lobo mau e o valente caçador. Em todas elas, a autora que ocupa a cadeira número 1 da Academia Brasileira de Letras mostra aos pequenos leitores que todo mundo tem algum medo. Não importa quem seja, nem a idade que tenha, até mesmo a mamãe trem seus temores e isso não é bobagem.

Deixar um comentário

“Apprendendo”: novo aplicativo para reinventar a rotina da criançada

Você sabia que as crianças podem aprender em qualquer momento e em qualquer lugar? Algumas boas lições não vêm apenas da escola, dos livros, ou da professora, mas podem estar presentes onde a gente menos imagina, nas situações corriqueiras da rotina dos pequenos. A hora do banho, das refeições, ou uma ida ao supermercado com o papai e a mamãe podem ser experiências bastante enriquecedoras para o desenvolvimento dos baixinhos.

28

Pensando nisso, o pessoal do Toda Criança Pode Aprender lançou um aplicativo sumpimpa para ajudar a criança a aproveitar todo o potencial de aprendizado presente nos momentos da sua rotina.

Com o “Apprendendo”, o papai e a mamãe podem transformar cada pequena interação com os pequenos em uma oportunidade de aprender mais, com sugestões de atividades simples vinculadas ao seu dia a dia. As atividades são divididas em duas categorias: “Dentro de casa” e “Fora de casa”, apresentando ideias de situações que podem ser promovidas nesses espaços.

Não se trata de um aplicativo para uso das crianças, mas dos adultos, para promover e enriquecer ainda mais os momentos de interação. Ele está disponível para ser baixado gratuitamente tanto na Google Play Store, para Android, quando na Apple Store, para os dispositivos IOS.

Veja como funciona:

27

Desenvolvido por especialistas em educação formados na USP e em Harvard, todo o conteúdo foi pensado para faixas etárias específicas, que vai de um ano de idade até dez anos. Para saber mais sobre como funciona o aplicativo e o jeito mais fácil de usar, basta clicar aqui. E acompanhe também o site oficial do projeto.

Deixar um comentário

Quando colocar a criança em uma escola de idiomas?

O pequeno está assistindo um desenho e balbucia uma palavra em inglês… Essa cena está cada vez mais comum entre as famílias, não é, mamãe? Ela é a prova de que, graças à popularização do acesso a canais por assinatura, smartphones e tablets, as crianças estão cada vez mais expostas a diferentes línguas. Diante disso, pinta sempre a dúvida: será que já chegou a hora de aprender o inglês?

A aprendizagem de um segundo idioma na infância possui uma série de vantagens. A primeira é que o cérebro da criança é bastante flexível e receptivo a uma nova língua, pois ainda está formando as suas conexões de linguagem. Isso com certeza torna o aprendizado mais fácil. Não é à toa que eles aprendem apenas ouvindo os personagens da televisão. Eles absorvem a língua apenas pela audição, como acontece com o português.

15

Além disso, está comprovado que crianças que aprendem uma nova língua possuem um desenvolvimento cognitivo e uma capacidade de concentração maiores do que as crianças que não têm esse contato. Segundo a Enciclopédia sobre o Desenvolvimento na Primeira Infância, as crianças bilíngues possuem desempenho melhor em testes de cognição, em atividades que demandam controle e atenção e também cometem menos erros gramaticais.

 

Porém, a aprendizagem precoce de um novo idioma ainda é um tema que divide a opinião dos especialistas. Pois, por mais que nessa fase a criança esteja aberta a uma outra língua, corre-se o risco de confundi-la no uso das palavras na língua materna. Por isso, o ideal é esperar que a criança esteja bem familiarizada com o português, primeiramente. É preciso que a criança já fale sem dificuldades e tenha um bom conhecimento de como se formam as palavras, para que comece a aprender um novo idioma. A idade varia de acordo com cada criança.

16

E mesmo se depois dos 4 anos a criança ainda fala com dificuldades, tem atrasos de atenção e problemas da aprendizagem da língua portuguesa, é melhor esperar mais um pouco para introduzi-la em um novo idioma. Porém, assim que perceber que seu filhote está preparado, existe uma série de aplicativos, jogos e outras formas de entretenimento que podem introduzi-lo em uma nova língua de maneira divertida. Aproveite!

 

Deixar um comentário

Passo a passo: Porta Lápis de Lego

A criançada aí na sua casa também é fã de lego? As peças mais amadas pela garotada são a inspiração do passo a passo de hoje. De uma maneira fácil e com materiais simples, vamos fazer um porta lápis divertido em forma de peças Lego. É ideal para renovar o cantinho de estudos da criançada e agitar o clima de volta às aulas! Então vem com a gente!

3

Materiais:

  • Vidro de papinha de bebê ou algum recipiente transparente parecido;
  • Tinta acrílica na cor amarela;
  • Marcador permanente na cor preta.

4

Remova a tampa do potinho de vidro e limpe ele por dentro. Em seguida, despeje a tinta amarela aos poucos. Importante: não jogue a tampa fora.

5

Feche o pote de vidro com a sua própria tampa e agite para que a tinta se espalhe por toda a sua superfície interior.

6

Quando o vidro estiver coberto de maneira homogênea, abra e despeje o excesso de tinta. Em seguida, mãos à obra, é hora de desenhar! Barba, óculos, tapa olho… Dá pra se divertir de montão! A beleza do lego são os traços simples. Não tem segredo: é só pegar um original e copiar.

7

Prontinho! Porta lápis criativo e divertido pra turbinar os estudos da garotada!

8

E dá até pra utilizar como adereço de uma festa temática, que tal? Vários modelos fofos!

9

Deixar um comentário