Infância

“Apprendendo”: novo aplicativo para reinventar a rotina da criançada

Você sabia que as crianças podem aprender em qualquer momento e em qualquer lugar? Algumas boas lições não vêm apenas da escola, dos livros, ou da professora, mas podem estar presentes onde a gente menos imagina, nas situações corriqueiras da rotina dos pequenos. A hora do banho, das refeições, ou uma ida ao supermercado com o papai e a mamãe podem ser experiências bastante enriquecedoras para o desenvolvimento dos baixinhos.

28

Pensando nisso, o pessoal do Toda Criança Pode Aprender lançou um aplicativo sumpimpa para ajudar a criança a aproveitar todo o potencial de aprendizado presente nos momentos da sua rotina.

Com o “Apprendendo”, o papai e a mamãe podem transformar cada pequena interação com os pequenos em uma oportunidade de aprender mais, com sugestões de atividades simples vinculadas ao seu dia a dia. As atividades são divididas em duas categorias: “Dentro de casa” e “Fora de casa”, apresentando ideias de situações que podem ser promovidas nesses espaços.

Não se trata de um aplicativo para uso das crianças, mas dos adultos, para promover e enriquecer ainda mais os momentos de interação. Ele está disponível para ser baixado gratuitamente tanto na Google Play Store, para Android, quando na Apple Store, para os dispositivos IOS.

Veja como funciona:

27

Desenvolvido por especialistas em educação formados na USP e em Harvard, todo o conteúdo foi pensado para faixas etárias específicas, que vai de um ano de idade até dez anos. Para saber mais sobre como funciona o aplicativo e o jeito mais fácil de usar, basta clicar aqui. E acompanhe também o site oficial do projeto.

Deixar um comentário

Decorando o quarto com desenhos infantis

O que para as outras pessoas são meros rabiscos, para a mamãe coruja é obra de arte! Então que tal usar os desenhos do seu pequeno artista para decorar o quartinho da criançada? Encontramos ideias lindas e pra lá de criativas para você se inspirar, confira!

13

Você pode comprar algumas molduras da mesma cor (ou pintar as mais antigas que já tem em casa), colar um barbante em suas extremidades e pendurar os desenhos com mini pregadores. Um mimo!

7

Pegar uma moldura bem grande e desenhar um fundo divertido também vale!

9

Pendurar algumas pranchetas de escritório na parede ou até um cabide customizado de saia também fica super criativo (e barato!).

8

Que tal você mesma fazer as molduras para as obras de arte do seu pequeno? Você pode desenhá-las em uma parede de lousa com giz. Ou fazer um espaço exclusivo para o seu artista, com direito à lousa e galeria exclusiva para ele desenhar à vontade.

Aqui no blog, você encontra um passo a passo explicadinho para fazer uma parede de lousa em casa. Para acessá-lo, clique aqui.

10

Para quem quer algo mais elaborado, dá pra fazer um painel gigante de cortiça para espetar os desenhos com pinos coloridos ou molduras adesivas coloridas para colar na parede. O resultado fica lindo!

11

E para quem quer algo mais simples, dá para fazer um varalzinho com barbante e prendedores em algum cantinho ou comprar porta retratos convencionais de tamanhos variados e espalhá-los pela parede.

12 6

Gostou, mamãe? Escolha os trabalhinhos mais fofos junto com seu pequeno e compartilhe com a gente como ficou a exposição!

Deixar um comentário

Preparando a criança para entrar na escola

Enfim, chegou o dia de ir para a escolinha! Medo, empolgação e ótimas expectativas se misturam, causando aquele friozinho na barriga! E a sensação não é só da criançada: é da mamãe também, não é? A escola oferece um universo imenso de novidades: a mamãe já não está mais por perto, a professora é uma figura nova, assim como os coleguinhas, regras e lições a aprender.

Ao mesmo tempo em que essas novidades tornam a escola tão interessante e significativa, elas também podem causar muita insegurança na criança. Por isso, vamos compartilhar algumas dicas para você ajudar seu filho a se preparar para a escola e a conseguir se adaptar de forma tranquila e feliz.

escola3

Fazer novos amigos. Na escola, as crianças terão a oportunidade de fazer suas primeiras amizades e guardar doces recordações. Geralmente elas não têm dificuldade na hora de fazer novos amiguinhos. Porém, isso pode causar um pouco de ansiedade em um primeiro momento.

Então, converse com seu filho! Explique que ele ganhará novos companheiros de brincadeira, e que ele está indo para a escola não apenas para estudar, mas para se divertir também. Simule alguns diálogos com ele, estimulando-o a perguntar coisas como o nome, idade, desenhos e jogos que os outros mais gostam. Esta dramatização ajudará a dissipar a ansiedade da criança e a deixará mais segura na hora de puxar papo.

Crianças que ainda não convivem com outras da mesma idade podem sentir dificuldade em dividir os brinquedos. Se esse é o caso do seu filho, explique para ele que ele precisará emprestar os brinquedos para os coleguinhas, que poderá brincar com outros e ter os brinquedos de volta novamente.

escola2

A hora de fazer xixi. Controlar a vontade de fazer xixi na escola pode ser motivo de muita ansiedade para os pequenos, pois a maioria das crianças de até 5 anos não tem controle absoluto sobre seus corpinhos. Muitas vezes, elas se sentem tímidas em perguntar para a professora se podem ir ao banheiro. Por isso, antes de levar seu filho à escola, converse um pouco sobre isso com ele, dizendo que ele pode pedir para ir ao banheiro sempre que sentir necessidade. Basta levantar a mão e pedir para a professora com educação, mesmo se estiver em meio a alguma atividade.

A hora do lanche. Quando as crianças são muito pequenas, geralmente as professoras ajudam na hora do lanche, porém, como são muitos alunos, fica difícil ter a mesma atenção que a criança recebe dentro de casa. Então, ensine e treine alguns movimentos, como por exemplo a forma correta de usar o guardanapo, potes e garrafinhas. Também tenha o cuidado de sempre mandar alimentos bem cortadinhos.

escola1

Trocar de roupa. A criança precisa aprender a ir ao banheiro, colocar o uniforme de educação física ou um casaco quando o tempo esfriar. Por isso, mamãe, ensine-o coisinhas básicas como fechar o zíper, lidar com botões e cadarços. Ensine isso em casa para que ele possa ser um pouco mais independente na escola!

Deixar um comentário

Coisas que eu achava quando era criança

Quem nunca pensou que as nuvens fossem feitas de algodão? Ou o que o algodão doce era um pedacinho de nuvem? Há quem jurasse que se comesse alguma semente iria nascer uma árvore dentro da barriga, ou tinha certeza que seus brinquedos tomariam vida à noite.

A imaginação dos pequenos é, definitivamente, um universo sem limites! A página Coisas Que Eu Achava Quando Era Criança captou isso super bem ao reunir algumas dessas pérolas da infância, que nos fazem voltar no tempo e lembrar como percebíamos o mundo. É hilário! Confira algumas delas:

280915-1 280915-2 280915-3 280915-4 280915-5

Se identificou? Conte suas “pérolas” pra gente!

Deixar um comentário

Plano Nacional pela Primeira Infância

shutterstock_20317516

Frequentemente os jornais impressos, televisivos e online falam do Plano Nacional pela Primeira Infância (PNPI), mas alguns pais ainda não o conhecem a fundo. Trata-se de uma carta de compromisso do país para garantir o atendimento a todos os direitos da criança de até seis anos de idade, afirmados pela Constituição, pelo Estatuto da Criança e do Adolescente e pelas leis aplicadas em diferentes setores, como educação, assistência social, saúde e diversidade. O plano propõe metas para um período de doze anos (2011 – 2022), a partir das quais são definidas estratégias nas esferas estaduais, distrital e municipais.

O PNPI parte da concepção de que a criança é a base que sustenta todo o desenvolvimento futuro do país. Cita o escritor e poeta Charles Péguy (1873 – 1914) para lembrar que a infância é o tempo das silenciosas preparações.

Um dos objetivos traçados pelo documento é a diminuição da mortalidade infantil, com estratégicas voltadas ao atendimento pré-natal, durante o parto, no aleitamento materno, no combate à desnutrição, obesidade infantil e anemia. Esse capítulo também fala sobre a atenção à saúde mental da criança.

Sobre a educação, o plano traz algumas diretrizes que ressaltam a importância da primeira etapa da educação básica, e afirma que os professores e famílias devem participar juntos da formulação da proposta pedagógica das escolas. Com isso, salienta a responsabilidade dos pais para ensinar valores humanos como respeito, solidariedade e inclusão.

Além dos órgãos públicos, os pais também podem ter acesso ao PNPI e monitorar as ações que estão sendo implementadas para cumpri-lo, principalmente nas escolas e postos de saúde da sua cidade. O futuro do país é construído aos cuidados de todos nós!

Deixar um comentário