Maternidade

5 lições que aprendemos sendo mães

Para algumas de nós, os primeiros momentos da maternidade podem ser bastante assustadores e cercados por dúvida e temores. Ao longo desta trajetória tão bonita e tão amorosa, aprendemos muitas lições e agora gostaríamos de compartilhar algumas delas: 

 

1. Você não precisa ser perfeita

A ideia de mãe perfeita é, antes de tudo, muito cruel com a gente. Se preocupar com temperatura, alimentação, bem estar, humor, roupinhas, educação e tudo aquilo que cerca a vida dos pequenos, sem esquecer de nós mesmas, é uma tarefa muito difícil. Então, ser perfeita está totalmente riscado da lista, eu quero é ser a melhor mãe que eu puder ser e tenho certeza que estou fazendo um bom trabalho.

 

2. Não nascemos mães, nos tornamos mães

Se tornar mãe é um processo, um caminho de descobertas, sensação e, claro, muito amor. Assim como a perfeição, a obrigação de termos de saber tudo o tempo todo porque “nascemos mães“ não é uma perspectiva real. Se tornar mãe é lindo, não precisamos nos pressionar.

 

3. Respire fundo

Eu sei que às vezes é difícil, o dia parece um caos, algumas coisas não dão certo… Mas calma, respira fundo, conta até 10 e tenha a certeza que tudo vai dar certo. Sabe por quê? Porque com todas nós é assim e todas temos dias que… Nossa, faltam palavras para descrever a irritação. Mas respira, olha para o seu pequeno e tenha a certeza que tudo vai dar certo, é só ter calma. 

 

4. Seja você

Cada uma de nós tem nosso próprio jeito de fazer as coisas, o nosso jeito de pensar e o nosso jeito de ser. Não existe um tipo de mãe e, para ser honesta, não sei nem se existem “tipos“. Existem… mães e ponto final! (Sim, foi uma exclamação, eu sei, mas você entendeu a ideia). Se aceite do seu jeito, aceite seu corpo, viva e seja única e exclusivamente você mesma. Sabe por quê? Bom, eu tenho vários, mas vou te dar dois. O primeiro porquê é que não há nada melhor do que viver a sua própria vida, andar de cabeça erguida e de peito aberto para a felicidade. Segundo, olhe para o seu pequenininho. Olhe mesmo, olhe de perto, olhe no fundo dos olhos dele. Ele te ama do jeitinho que você é e você é a grande referência para este ser humaninho tão lindo. Não tem como competir com isso. 

 

5. Gratidão é tudo de bom!

É hora de ser feliz! Ser mãe é uma loucura, um corre-corre, um ”caos organizado”, uma… Coisa maravilhosa que todo dia te ensina lições que de jeito nenhum, nunquinha na vida, você teria. Você é uma mulher única, incrível e a gente ama você do jeito que você é. Por isso, gratidão é tudo de bom!

Deixar um comentário

Apoio à nova mamãe

baby-blues-depressão

Não importa se é de primeira viagem ou se já é experiente no assunto. Quando nasce um bebê, surge também uma nova mamãe, que precisa de todo apoio, cuidado e compreensão possíveis. Essa necessidade é comprovada cientificamente: de acordo com um estudo realizado pelo departamento de Medicina da USP, quanto mais desamparada está a mãe do nascituro, tanto em outros aspectos quanto em relação ao suporte da família, maiores são os riscos para ela e a criança.

A quantidade de adaptações que um novo ser traz é avassaladora, e acompanha também uma série de mudanças físicas, hormonais e psicológicas da mãe. Entre essas alterações, muitas mulheres experimentam o chamado “blues”, um sentimento de insegurança que costuma durar de 5 a 7 dias após o parto. Essa fase é passageira, mas não pode ser ignorada. Os familiares e amigos devem ajudar nas tarefas da casa e nos cuidados com o bebê, ouvir as alegrias e incertezas da mamãe, permitir e incentivar que ela cuide de sua saúde, e o mais importante: mostrar que não são apenas ajudantes, mas que compartilham com ela a responsabilidade e o amor por seu filho. É claro que essas atitudes devem se estender ao longo de toda formação da criança, mas são extremamente necessárias nas primeiras semanas.

Estatísticas mostram que 20% a 30% das mulheres sofrem de depressão pós-parto no Brasil. Se os familiares, amigos e até mesmo médicos zelassem mais pelo ânimo e bem-estar da mamãe, essa porcentagem diminuiria muito.

Para reforçar o que as pesquisas relataram, nós queremos saber de vocês, mamães: como o apoio ou a falta dele influenciou nas primeiras semanas de vida do seu filho?

Deixar um comentário

A Grande Descoberta da Maternidade {Ser Mãe}

Olha que bacana! A Priscila Casimiro do blog Mãe Sem Frescura quis compartilhar conosco suas percepções sobre os desafios e alegrias de ser mãe.

IMG_8606

 *

Chega um momento de nossas vidas que resolvemos que é a hora de “ser mãe”, embora muitas dúvidas ainda martelem em nossas cabeças. Algumas mulheres são super decididas, embora outras prefiram adiar para pensar melhor como lidar com essa nova fase. Diferente do passado, as mulheres almejaram e conseguiram espaço no mercado de trabalho, e por esse motivo, a ideia de ter filhos foi adiada e muitas vezes esquecida.

Construir uma família não é algo fácil, pois é preciso muita dedicação, amor e paciência. Os divórcios estão cada vez mais frequentes por falta de diálogo, no casamento é preciso saber falar e ouvir, abrir mão e também colocar suas opiniões. Assim, a união do casal se torna algo sólido, verdadeiro e preparado para receber um bebê, se transformando em uma família.

“Ser Mãe” é uma decisão que deve ser muito bem pensada, porque a vida vira de ponta cabeça e você precisa estar preparada para essa avalanche. Reviravolta essa que pode ser encarada numa boa ou ser cheia de obstáculos e só você – mãe – é a grande responsável por tudo isso, ou seja, pode ver a vida materna muito colorida ou como um filme preto e branco. O que você prefere? Está pronta para dar cor a tudo isso?

Claro que o companheiro é o grande aliado nessa nova fase e também responsável por tornar tudo mais leve e feliz, oferecendo todo apoio necessário. Não tenha vergonha de admitir as suas falhas e medos, o diálogo é sempre o melhor caminho. Se sentiu alguma dificuldade na decisão de “ser mãe” ou no pós-parto, fale, exponha os seus sentimentos e busque a felicidade.

maesemfrescura

Eu sempre quis casar e construir a minha família, mas confesso que na hora “H” fiquei com medo do desconhecido, do futuro e de como seria a minha vida dali para frente.

Conversei com o meu marido e finalmente decidimos que estávamos prontos para esse desafio. Desafio?! Sim, porque não é fácil ser mãe e só quem é sabe o que passamos em nosso dia a dia. Precisamos ser malabaristas para dar conta de tudo, são muitos detalhes, angústias, medos, birras, choros e também muitos momentos de amor. “Ser Mãe” nada mais é do que um ato de amor, ou seja, mesmo que seu filho seja do tamanho de um grão de arroz o amará de forma tão intensa que só terá olhos para ele.

A maternidade é uma grande descoberta, como é bom descobrir o novo, amar e ser amado, descobrir tudo isso juntinho com o seu bebê, receber aquele beijo e abraço bem apertado, falar e ouvir “EU TE AMO”. Nossa, é um amor sem explicação, é um amor que compensa qualquer obstáculo e medo, é um amor que nos faz crescer e pensar num futuro melhor.

Que mãe não tem vontade de apertar as bochechas, encher de cócegas, dar muito beijo e dormir abraçadinho. É bom demais! Cada descoberta do seu filho é comemorada como uma conquista sua, por isso, colorir a maternidade é tão importante para o sucesso da família.

Priscila Casimiro
Mãe Sem Frescura
www.maesemfrescura.net

*

Obrigada por dividir conosco sua experiência, Priscila!

8 comentários

Aposte nas lembrancinhas de maternidade comestíveis

Já é de praxe os papais que acabaram de ganhar um novo membro na família oferecerem uma lembrancinha como agradecimento aos visitantes que foram conhecer o bebê, seja na maternidade ou em casa. Este é um gesto de carinho com os amigos e familiares que farão parte da vida da criança.

Que tal então oferecer um presente que, além de lindo e delicado, seja delicioso? Isso mesmo, as lembrancinhas comestíveis estão muito em alta e tem caído no gosto dos papais e mamães. Separamos algumas ideias para inspirar as gravidinhas de plantão, confira!

Cake pops e pirulitos: exigem dedicação e trabalho, mas o resultado é surpreendente e inovador. São  as opções de personagens, objetos e desenhos que podem ser incorporados a esta ideia.

lembrancinha maternidade comestível

Imagens: Divulgação

 

Cupcakes: não há quem resista! Eles vão conquistar a todos com tantos mimos especiais.

lembrancinha2

Imagens: Divulgação

 

Biscoitos decorados e pães de mel no palito ou em caixinhas também são uma ótima e prática opção.

lembrancinha3

Imagens: Divulgação

 

Balinhas em latas delicadas e brigadeiro em potinhos personalizados conferem muito cuidado e carinho.

lembrancinha4

Imagens: Divulgação

2 comentários

Como decidir se é o momento de ter um bebê?

Ter filhos faz parte do grande sonho da maioria das pessoas. Gerar uma criança, passar pelas dores do parto e, principalmente, ter sua vida alterada para sempre devido a esta nova vida, exige muito preparo e entrega. Muitas vezes não é possível planejar, certo? Porém, os casais da atualidade estão preferindo se preparar muito bem antes de tomar esta decisão. Mas, como decidir quando é a hora certa?

Não é possível prever o quanto um filho vai afetar a vida de um casal, porém, é possível sim, fazer uma análise. A revista Materlife listou alguns parâmetros que podem ajudar a avaliar se este é o momento certo na relação para a chegada de um bebê.

1 – A relação vai bem e o filho só vem a acrescentar? Jamais pense que filhos são a solução para uma crise. Muito pelo contrário, o início dessa nova vida, a revolução é tão grande que mesmo os casais mais sólidos podem balançar.

2 – O desejo de ter filho é comum entre os dois? Esta não é uma decisão que deve ser tomada por somente uma das partes. Vem aí uma fase muito mágica e difícil, que precisa do desejo e empenho dos dois.

3 – Existe uma pré-disponibilidade interna de cada um em abrir mão de uma vida mais descompromissada em prol da criança que vai chegar? Se os companheiros estão dispostos a lidar com os medos e ansiedades da gestação, com as noites maldormidas sem se sentir lesados por isso, é um bom indício de que é chegada a hora.

4 – O momento foi planejado considerando os prós e contras da vida profissional de cada um? Um filho pode causar mudanças da vida profissional, principalmente da mulher, que precisará interromper suas atividades profissionais por um tempo ou definitivamente. E, mais do que isso, contar com o marido é primordial.

Vale a pena pensar, não é mesmo?! Estar preparado e com o coração aberto para amar e receber esta nova vida, deixa tudo mais fácil e ainda mais especial.

Fonte: Revista Materlife.

Deixar um comentário