Será que elogiar o filho aumenta mesmo a sua autoestima?

“Eu sou burro”, “essa atividade eu não consigo”, “é muito difícil”… Quem já ouviu alguma dessas frases na hora de ajudar na lição de casa? Por mais que o papai e a mamãe sempre elogiem, a criança muitas vezes ainda se sente incapaz de realizar aquelas atividades que tem dificuldade ou de superar algum desafio. Mas, afinal, onde está o problema? Elogiar os filhos não deveria ser a maneira mais óbvia de aumentar a sua autoconfiança?

Segundo alguns estudos realizados nos Estados Unidos pela psicóloga Carol Dweck, dizer que o filho é inteligente ou muito esperto pode acabar tendo um efeito contrário ao esperado.

Ao ter consciência da sua inteligência, a criança desenvolve o medo de não conseguir corresponder a esse rótulo e acaba se desanimando frente aos desafios que podem ameaçá-lo. O resultado a gente já sabe: o pequeno coloca toda a sua energia naquelas atividades que já domina com facilidade e deixa as “mais difíceis” para depois. Ou imediatamente recorre ao auxílio da mamãe ou do papai sem ao menos se arriscar. Mas, como a lição de casa tem que ser feita por inteiro, sua autoestima fica abalada e ela começa a desconfiar de suas habilidades.

asdf

O real obstáculo são os rótulos, que encaram a inteligência ou capacidade da criança como algo fixo, e não uma qualidade a ser desenvolvida. Na hora da lição, ou até de um passatempo como montar um quebra-cabeças, a atitude dos pais ou tutores não deve ser de elogiar a inteligência como um talento nato, mas elogiar o esforço e o empenho.

Ao concluir alguma atividade, em vez de dizer “como você é esperto!”, você pode dizer “parabéns, você se empenhou muito”. Assim, a criança não vai apenas procurar fazer aquele tipo de atividade em que se saiu bem, mas vai se sentir capacitado e motivado a resolver também as atividades em que tiver mais dificuldade.

erw

É uma questão de sempre mostrar que a inteligência pode ser desenvolvida com dedicação e que, dessa maneira, sempre será possível superar esses desafios. O estímulo virá naturalmente. ;)

Deixar um comentário

5 ideias para criar crianças mais felizes!

O método de ensino Montessori tem o seu centro na própria criança. Isso quer dizer que é ela, através de sua curiosidade natural, a agente principal de seu aprendizado com total capacidade de ditar o ritmo e a direção de sua evolução. Por isso, a criança deve ser livre para escolher os objetos com os quais quer ter contato para se desenvolver. A regra vale para materiais, brinquedos e ferramentas. Ao alinhar a educação com a vontade natural, o Método Montessori diz que a criança se desenvolverá mais feliz! Não é lindo? <3

890

 

Com base nesta metodologia, veja algumas dicas do Método para fazer seu filho se desenvolver feliz:

 

O local de aprendizagem

Crianças aprendem melhor em ambiente organizado. Fazer divisões lógicas, como seções tematizadas e alcançáveis vai ajudar a criança a encontrar rapidamente o que busca e focar sua atenção exclusivamente em seu objetivo final.

Crianças precisam de ambientes estimulantes e atrativos. É importante que o local tenha livros diferentes, materiais artesanais (adequados à faixa etária) bem coloridos, quebra-cabeças para os maiores, e materiais para colorir e desenhar. O ambiente precisa estimular o pequeno à ação! Pense em ideias criativas para este objetivo.

 

As mãos

Crianças aprendem melhor com o movimento das mãos. O desenvolvimento da coordenação motora e da concentração é essencial, e nada melhor do que atividades que exijam o uso das mãos, como por exemplo empilhar cubos, para tal.

 

O livre-arbítrio

Crianças livres fazem melhores escolhas. Deixe-as terem a oportunidade de fazer escolhas. Mas atenção: liberdade para escolher não significa fazer o que se quer, sem regras! Estamos falando da liberdade de fazer a coisa certa.

 

O contexto

A criança deve aprender com o contexto certo! Exemplos concretos são melhores do que os abstratos. Fazer em vez de escutar é a regra.

 

A recompensa

O maior prêmio que a criança pode ganhar é atingir sua meta! Se a atividade for montar um quebra-cabeças, por exemplo, é claro que conseguir montá-lo será a grande meta! E deixe que ela aprenda com seus erros. Não transmita sua ansiedade para o pequeno, deixe-o fazer sozinho.

Deixar um comentário

Elian FUN: Estilo lenhador

Preparados para as aventuras na floresta? Os garotos estão no pique e vão se transformar em mini lenhadores especialistas em diversão! O estilo lenhador, ou “lumberjack”, no inglês, é tendência entre os adultos e a inspiração para turbinar os looks da coleção Elian FUN Inverno 2017.

Nos looks dos baixinhos, o visual despojado e rústico que marca a tendência ganha uma cara lúdica, com estampas de bichinhos da floresta, texturas diferenciadas e apliques divertidos, perfeitos para quem quer se vestir brincando.

1

 

Os bichinhos da floresta ganham vida nos looks e convidam a garotada para explorar todos os seus cantinhos em clima de aventura. O castor, lenhador por excelência, comanda a brincadeira, aparecendo nos looks em estampas interativas com relevos e bordados em alto relevo.

Ursinhos pra lá de fofos também aparecem como protagonistas das peças em estampas divertidas com seu rosto em formato ampliado e rotativos que imitam a sua pelagem. As orelhinhas aparecem em lugares inusitados, seja com aplique na cava da peça, ou no capuz, transformando o pequeno em um mini ursinho super fofura!

18

Deixar um comentário

Educação financeira para crianças!

Você sabia que desde 2012 a educação financeira está no currículo da rede pública de ensino no Brasil? Para ajudar você a complementar esta missão escolar super importante, separamos um jogo simples e divertido, para os pequenos começarem a se entrosar no mundo financeiro:

i9p

Como ele funciona: o jogo ensina como poupar para atingir metas. Nele existe uma série de atividades para que você, em casa, possa ensinar para seu pequeno o que é salário.

Se o seu pequeno tiver 6 anos de idade ou mais, por exemplo, você pode fazer com que tarefas da casa, como levar o cachorro para passear, fiquem sob responsabilidade dele para merecer a mesada ou semanada. Assim, ela conseguirá entender como funciona o valor do trabalho. Mas, cuidado: não vincule a mesada ao desempenho na escola ou a comportamentos. Dê ao seu filho o norte de que existem funções a serem obrigatoriamente cumpridas, independentemente do recebimento de dinheiro.

O jogo também ensina sobre poupar, escolhas financeiras e investimentos de longo prazo. A criança vai aprender, por exemplo, que poupando ela pode comprar um brinquedo melhor do que se gastar a mesada imediatamente.

Aos poucos seu filho vai entender que não é possível comprar tudo o que deseja de uma vez, nem pedir para você. E dê o exemplo: não compre por impulso na frente dele. Seja coerente!

Baixe aqui o jogo: http://mongeralaegon.blog.br/wp-content/uploads/2016/10/Regras-jogo-dos-quatro-porquinhos.pdf

Deixar um comentário

Receita: Palitinhos de Misto-Quente

Já imaginou transformar o famoso misto-quente em um snack divertido para os pequenos? Além de fácil e gostoso, é vapt-vupt de preparar.

Palitinhos de Misto-Quente

O que você vai precisar:

  • 1 pão fatiado
  • Recheio de sua preferência para o misto-quente. Uma sugestão é usar dois tipos de queijo, como tipo cheddar e prato.

1

Monte o misto quente como de costume, deixando o pão bem crocante. Depois é só cortar o pão em tiras e sirva com molho que desejar!

2

Esses snacks são uma ótima opção para servir como entrada de coquetel ou na festinha dos pequenos.

Deixar um comentário