filhos

Educação infantil

Educar uma criança dando exemplos de valores que vão contribuir para sua formação de caráter não é tarefa apenas de educadores. É dentro de casa que os pequenos aprendem as mais valiosas lições de vida.

Forme um time para cuidar dos seus filhos

Respeitar o próximo, ser solidário, organizado, ter hábitos saudáveis, etc…O caminho é longo e os pais são os grandes responsáveis por guiar seus filhos nessa estrada. Mas para a caminhada ser proveitosa, é necessário que pai e mãe formem um time.

Time joga junto. Um não desautoriza o outro, principalmente na frente da criança. Time também joga pelas regras, nada de quebrá-las. Time defende a camisa com segurança e convicção, então nada de falar dos defeitos do parceiro (a) na presença dos filhos.

Cometer esses e outros erros no processo de educação é até comum. Afinal de contas, seu bebê não nasceu com “manual de instruções” e ninguém nasce sabendo ser pai e mãe. A boa notícia é que dá para se corrigir e você ainda pode contar com a ajuda de especialistas.

A revista Crescer listou cinco erros mais comuns na hora de educar as crianças. Mas eles também vêm acompanhados das soluções. Confira: www.revistacrescer.globo.com

Com paciência e informação vocês podem ser ótimos pais.

 

 

Deixar um comentário

Comportamento: “Filhos para o mundo”

Se deixar no maternal, na escolinha, na casa de um parente, passar férias em outra cidade é um sacrifício, saiba que a “arte do desapego” não é um exercício fácil para os pais. Mas, infelizmente, é necessário apoiar a independência dos pequenos desde cedo.

Afinal de contas: “não criamos filhos para gente, criamos para o mundo”. Você já deve ter ouvido ou lido essa frase em algum lugar. Você também já foi alertada, aqui mesmo no nosso blog, sobre os perigos da superproteção. Então, agora é hora de começar a encarar a realidade e, quanto mais cedo melhor.

A revista Crescer, da editora Globo, está preparando uma série de reportagens com pais e profissionais para tratar das angústias que envolvem o momento difícil de “cortar o cordão umbilical”. Acesse:  www.revistacrescer.globo.com

Descubra que você pode ter ajuda para se preparar para esse momento.

E o que fazer quando eles querem deixar o ninho, abrir asas e voar?

1 comentário

Como escolher as roupas ideais para as crianças

Criança adora brincar. Corre de um lado para o outro, se contorce nas mais variadas estripulias.  Esse fato deve ser levado em conta na hora de escolher as roupas que os seus filhos vão vestir.

Conforto e qualidade devem estar sempre presentes nas peças do vestuário infantil. “As roupas devem ser ajustadas ao tamanho da criança. As justas não são confortáveis para a criança por inibirem os movimentos dela”, explica o produtor e consultor de moda, Robi Spatti.

E é claro que a Elian tem tudo que seu filho precisa! Com mais de vinte anos de história, a marca é sinônimo de estilo, lança tendências e deixa papais e mamães tranquilos por apostar alto no quesito qualidade e conforto.  O conceito da marca “A roupa virou brincadeira”, traduz exatamente o que a Elian quer proporcionar para seu filho: conforto e diversão. Porque  acreditamos que aproveitar cada momento faz parte da construção da personalidade e educação dos pequenos.

Então que tal algumas dicas com a nossa Coleção Inverno 2011, que propõe uma gostosa viagem imaginária pelo túnel de tempo? Para as meninas peças com todo o charme romântico e para os meninos roupas inspiradas nas disputas automobilísticas de antigamente.

Deixe seu filho vestir toda a magia da infância!

Um toque de graça na estampa de bolinha laçinho na lapela

Estampa divertida para os meninos

Um colarinho alinhado bem ao estilo “bom moço”. Não fica uma graça?

Muito charme na composição do look para as “mocinhas”

Vamos combinar que esta coleção está um a.r.r.a.s.o, né? Confira muito mais no nosso site. ;-)

17 comentários

Mães que trabalham fora: como manter o vínculo com seu filho?

A tarefa não é fácil. Mas, chegou a hora de deixar seu filho aos cuidados de outras pessoas para retomar suas atividades profissionais. A mãe passa por sentimentos que vão de tristeza à culpa. A criança pode responder com choro e até febres de origem emocional. Como essa relação é muito forte, a separação deve ser estabelecida com delicadeza.

Segundo o pediatra Antônio Carlos de Souza, o que realmente conta é a qualidade do tempo que a mãe passa com a criança. “Se a mãe tem amor, afeto e sabe curtir a criança, isso basta. Não precisa ficar 12 horas por dia com o filho, nem se sentir culpada por estar trabalhando fora”, esclarece Souza. Ele também dá algumas dicas para aliviar a dor da saudade e manter o vínculo com seu filho. Confira:

– Faça uma gravação: Pode ser lendo uma história, cantando uma música ou apenas mandando um recado para dizer que está com saudades. Dessa forma, seu filho vai poder ouvir a sua voz sempre que quiser.

– Deixe seu filho brincar com um objeto seu: Pode ser uma peça de roupa com o seu perfume, seus colares ou qualquer outro objeto que lembre você e que possa diverti-lo.

– Dê a ele (a) uma foto sua: Se for do fim de semana, melhor ainda, e se ele já souber ler, você pode escrever um bilhete com uma mensagem carinhosa.

Especialistas, em geral, concordam que o afeto não pode ser medido em horas, minutos ou segundos, apenas em intensidade e atitudes. Aproveite bem o tempo que você passa com seu filho.

Deixar um comentário

Limites na educação dos filhos – Ensinar sem perder a paciência

Um dos maiores desafios dos pais na atualidade é a de impor limites quando se trata da educação dos filhos. Passar a mão na cabeça quando a criança comete um erro não vai fazer com que ela se sinta mais amada e protegida. Ao contrário, vai somente reforçar o erro.

O assunto é delicado, principalmente porque não existe manual de instrução ensinando como se deve educar uma criança. Mas, colocar limites está se mostrando, cada vez mais, como uma necessidade na educação das crianças.

Especialistas como o médico psiquiatra e professor Içami Tiba, acreditam no equilíbrio e no bom senso para se obter resultados positivos. “Crianças erram muito, pois é assim que aprendem. Mães e pais podem julgar as atitudes, mas não os filhos. Se a atitude foi egoísta, o que deve ser mostrado é o egoísmo e não dizendo: “você é egoísta”.

Ser liberal demais ou exigente além da conta é uma preocupação constante na hora de educar. Mas, de acordo com o médico, existe uma maneira simples dos próprios pais perceberem quando estão exagerando. “Quando a repressão é mais forte do que a vontade saudável do filho de querer fazer, significa que a medida está ultrapassada” – dá um exemplo.
Outro ponto importante: gritos e palmadas não resolvem desobediência. Um “não” dito de forma firme e decidida é o que conserta a situação. Mas o especialista alerta: “diga o não somente quando houver necessidade e não por impaciência”.

Gritos não resolvem a situação

43 comentários