Saúde do bebê

Alimentação infantil: O cuidado começa na barriga

Sim. Nós já falamos sobre o assunto aqui no blog. Mas tem novidades na área para as futuras mamães. Então, descobriu que está grávida? Comece a cuidar agora da alimentação do seu filho.

Recentes avanços na medicina mostram que o primeiro passo para cuidar da alimentação da criança começa na gestação. Os nove meses são decisivos na formação das preferências gustativas do bebê.

Pelo líquido amniótico, o feto em formação consegue sentir os sabores e odores do que você come. As novas pesquisas – e mais 300 – foram apresentadas ano passado em um congresso de Munique (Alemanha). As conclusões ficaram prontas no final de abril.

Para as futuras mães e as mulheres que estão pensando em engravidar, esse é mais um motivo para prestar muita atenção ao que você coloca no prato. Converse com seu obstetra, se achar necessário ele vai indicar um bom nutricionista.

Cuide da alimentação. O seu bebê vai agradecer nascendo mais saudável.

Deixar um comentário

Dentes saudáveis: A importância do café da manhã nos cuidados com a dentição

Já foi dito e repetido que o café da manhã é a refeição mais importante do dia. Mas, você sabia que além de fornecer energia para a rotina, a refeição evita a formação de cáries nas crianças?

Os cuidados com os dentinhos iniciam com 1 ano de idade. E nada de pular o café da manhã!

Pois então, o processo é bem simples. Se o seu filho não comer na hora certa, vai acabar beliscando no meio da manhã e, claro, não vai lembrar de escovar os dentes. Essa foi a conclusão de uma pesquisa espanhola realizada no início do ano.

A partir de 1 ano você já pode começar a escovar os dentes do seu filho. Escolha uma escova com cerdas macias, específicas para crianças e creme dental com flúor, também específico. “Faça movimentos circulares suaves. A rotina deve ser repetida sempre após as refeições”, ensina a odontopediatra Tânia Villas Boas Pimentel.

E, para manter a cárie longe do seu pequeno, tente convencê-lo a tomar café da manhã todos os dias. Para isso, procure ser criativa no cardápio. ;-)

Deixar um comentário

Pele de bebê: Lisinha, macia e sem marcas?

Manter a perfeição da pele do seu bebê não é tarefa fácil. Por não estar totalmente formada, ela é muito sensível e está sujeita a males como: brotoejas, assaduras e seborréia.

Com alguns cuidados a pele vai ficar lisinha, macia e sem marcas.

Mas, cuidados simples de higiene e o uso de produtos específicos podem barrar esses problemas. Confira um guia prático de cuidados com a pele do seu bebê. As sugestões de tratamento são do dermatologista infantil, Dr.Marcelo Orlando Paris Cavassani.

Brotoejas
O que são: O suor obstrui os poros resultando em inflamação. Acontece principalmente no calor.
O que fazer: banhos mornos, gel de Aloe Vera e Spray de vitamina C podem ser aplicados para aliviar a coceira. Produtos canforados, como o doutorzinho, também podem ser utilizados.

Assaduras
O que são: manchas avermelhadas causadas pelo contato do bebê com suas próprias fezes e urina.
O que fazer: secar bem a região e usar pomadas específicas.

Seborréia
O que é: crostinhas do couro cabeludo ou do rosto, que às vezes chegam até o supercílio.
O que fazer: após o banho amoleça as descamações com óleo de amêndoa e remova suavemente as partes soltas com algodão.

1 comentário

Pré-natal: Cuidados para a mamãe e o bebê

A descoberta de uma gravidez é sempre um momento de emoção, mas também é hora de pensar na saúde da futura mamãe e do feto em formação. Logo no primeiro mês, devem ser iniciadas as visitas regulares ao médico, ou seja, o pré-natal.

O pré-natal é a garantia de uma gravidez saudável.

Nas primeiras consultas o médico vai procurar diagnosticar e tratar possíveis doenças. Para isso são solicitados alguns exames rotineiros que podem ser realizados, gratuitamente, nas unidades Básicas de Saúde do SUS (Sistema Único de Saúde).

“Se for realizado de forma correta, os exames previnem, por exemplo, o ganho de peso excessivo e, até mesmo, a temida diabetes gestacional. Além disso, durante o acompanhamento, a mãe tem acesso a informações fundamentais, como formas de se manter confortável e estimulação do bico do seio”, esclarece a obstetra Adriane Fischer Ramos.

Os exames solicitados são:

  • Hemograma completo;
  • Glicemia;
  • Tipagem sanguínea;
  • Urina;
  • Papanicolau;
  • Sorologia para detectar ou não toxoplasmose e rubéola;
  • Avaliação de infecções para detectar ou não sífilis, hepatite B e AIDS.

A OMS (Organização Mundial de Saúde) estima que com os cuidados necessários durante o período da gestação podem-se diminuir em até 70% os riscos de complicações para a mãe e o bebê durante o parto.

2 comentários

Alimentação infantil: O desafio do 0 aos 12 meses

A OMS (Organização Mundial da Saúde) determina: o leite materno deve ser a única fonte de alimentação do bebê nos seis primeiros meses de vida. Depois disso a mãe pode começar a oferecer novos alimentos. Mas, ainda de acordo com a OMS, a amamentação deve continuar como complemento do cardápio infantil até os dois anos de idade.

Segundo a nutricionista Solange de Oliveira Saavedra a nova rotina alimentar deve começar com sucos e depois papinhas. “A mãe deve raspar a fruta com uma colher ou amassá-la com um garfo. A consistência tem que ser pastosa e não líquida e, com o passar do tempo, evoluir para uma consistência cada vez mais sólida”, explica.

Para facilitar essa nova fase na vida de mãe e filho, separamos algumas dicas baseadas na opinião de especialistas. Confira.

0 a 6 meses
O leite materno supre toda a necessidade nutricional do bebê nos primeiros meses de vida. É aconselhável que seja a única fonte de alimentação. “Criança que só mama no peito não precisa receber água, chás ou sucos. Apenas o leite materno é suficiente para dar toda a água de que precisa” alerta o pediatra Paulo Fontella Filho.

Além de fornecer todos os nutrientes necessários nos primeiros meses de vida, a amamentação protege a mãe contra doenças cardiovasculares.

5 ou 6 meses
A introdução de novos alimentos deve ser gradativa. Sucos (laranja lima) e papinhas de frutas bem amassadas. “A mãe deve oferecer o leite materno pela manhã e dividir as papinhas e sucos entre as outras refeições do dia”, aconselha a Coordenadora de Nutrição Clínica do Hospital Israelita Albert Einstein (SP), Ariane Nadolskis Severine.

7 ou 8 meses
Nessa fase as papinhas salgadas devem entrar para a rotina alimentar da criança.

Depois do leite materno, chegou a vez das papinhas entrarem no cardápio das crianças.

9 meses
Gema de ovo cozida, iogurte, carne ou peixe para suprir as necessidades de proteínas.

12 meses
Pode oferecer à criança a dieta habitual da família. Nessa fase o bom exemplo na alimentação vai determinar os hábitos alimentares da criança.

Deixar um comentário